Ator, produtor cultural, dublador e locutor. Trabalha com a Azenha de Teatro (www.AzenhaDeTeatro.com.br), a Penélope Cia. de Teatro (www.PenelopeCiaDeTeatro.com.br), é Consultor da BrainBridge - Criatividade no Desenvolvimento Humano (www.BrainBridge.com.br) e da Pulse RH (www.pulserh.com.br). É professor do Senac SP em cursos da área de Arte e Cultura.

Teatro

...Entre Esperas... Ou Como um Dia Come o Outro

2016-2019

com a Penélope Cia de Teatro. Dramaturgia: Alexandre Krug. Direção: Erika Coracini

...ENTRE ESPERAS... convida o público a uma vivência performática e processual em relação com espaço e o tempo. Navegando entre o “interior” do parque e o “exterior” da avenida, entre o tranquilo e o tumultuado, diferentes narratividades tecem fios que se estendem pelo labirinto da escuta e da memória. Nessa trajetória flagramos um sem fim de Esperas em plena pulsação, como o homem que “sabe esperar como ninguém”, um coro de Amantes Anônimos em seu idílio, um vigilante que registra todos os detalhes, um casal que se reencontra após 10 anos, uma sala de espera e seu cortejo de esperanças.

O Pequeno Guardador de Rebanhos

2015-2018

com a Azenha de Teatro. Dramaturgia: Adriana Azenha. Direção: Coletiva.

Um menino é guardador de um rebanho de pensamentos e encontra no mundo das sensações seu melhor brinquedo. Brinca com o perfume das flores, com o correr dos rios e com os frutos das árvores. Através dessa deliciosa brincadeira ele irá desvendar o mistério das coisas.

A Jornada de Orfeu

2015

com a Cia Coexistir de Teatro. Texto: Patricia Teixeira e Caio Bragha. Direção: Patricia Teixeira.

 

Baseado na mitologia grega e na leitura simbólica junguiana, o espetáculo apresenta a trajetória de Orfeu, um jovem músico que possui uma lira mágica, que quando é tocada tudo acalma (no espetáculo o ator faz uso do canto). Orfeu não se conforma com a morte de sua amada, Eurídice, e, com auxílio da música e guiado por Hermes, o mensageiro dos deuses, consegue entrar no mundo dos mortos para tentar trazê-la de volta.

Jejum - No suor do teu rosto comerás teu pão torradinho

2015

​com a Azenha de Teatro. Texto: Adriana Azenha.

 

A performance explora os conflitos humanos frente às suas carências e abstinências; suas diversas fomes. Através da estética da poesia concreta e da influência do teatro do absurdo, personagens fazem provocações e interagem com a platéia com bom humor e senso crítico.

Sem Palavras

2014-2016

com a Penélope Cia. de Teatro. Dramaturgia: Alexandre Krug.  Direção: Erika Coracini.

 

A peça tem inspiração na obra de Mia Couto, recriando os contos “A menina sem palavra”, “A luavezinha” e “Raízes”, entre outras histórias.

O Longo Caminho Que Vai de Zero a Ene

2013-2014

Texto: Timochenco Wehbi.  Direção: Wanderley Damaceno.

A peça alterna momentos trágicos e cômicos e apresenta Zero e Ene, dois meio pontos que precisam existir para o mundo, ao mesmo tempo em que perseguem objetivos opostos: Zero precisa alcançar Ene, e este precisa fugir eternamente.

 

Os personagens tentam aparecer para o mundo por diversas formas de arte, num processo de conscientização e amadurecimento. Nessa perseguição infinita eles percebem a mecanicidade de suas vidas e o conflito é instalado. Eles buscam quebrar o círculo vicioso.

A Cena da Imperatriz

2012

com a Azenha de Teatro. Direção: Adriana Azenha.

 

A Cena da Imperatriz consiste em improvisações cênicas, com a participação da plateia, baseadas em leituras dos Arcanos Maiores do Tarô de Marselha.



As cenas se desenvolvem de um jeito profundo e divertido ao trazer para consciência situações arquetípicas repletas de sabedoria e encantamento.



As improvisações são enriquecidas pela música, improvisada ao vivo, que também joga com os atores em cena.

O Miolo da Missiva

2011

com a Azenha de Teatro. Texto e Direção: Adriana Azenha.

 

Função: Assistente de Direção e Técnica.

 

Em O Miolo da Missiva, uma mulher comum ganha as chaves dos quartos dos sete pedidos. Curiosa, começa sua jornada. Ela quer reinventar o paraiso e para isso terá que seguir subindo, a cada andar um quarto, a cada quarto, um pedido e um novo desafio. Nossa heroína não quer nem passar o resto dos seus dias no inquietante inferno, nem viver no paraíso divino feito sob medida por um Deus masculino.

Flores de Lispector

2011

Performance da Azenha de Teatro criada para fragmentos do Romance Água Viva de Clarice Lispector.

 

No Romance há uma passagem na qual a personagem se refere à natureza das flores antes de transportá-las para a tela de um quadro. Ao dar personalidade às flores, ela nos aproxima de nossa própria natureza e promove espontaneamente nossa identificação. Programação "Sarau de Janeiro" SESC Santana, São Paulo/SP.​

GardenNow - Solo para um ator e cinco flores

2009-2010

com a Azenha de Teatro. Texto e Direção: Adriana Azenha.

 

Monólogo narra algumas horas na vida de um homem que, aprisionado em seu apartamento/jardim, discute com suas flores e encontra um espaço seguro e confortável para discutir a relação do homem com a natureza e com o próprio homem. Personagem de traços inquietantes e neuróticos, sua angustia e falatório permitem que as flores tomem vida e participem de um debate naturalmente cômico.

Vem Buscar-me Que Ainda Sou Teu

2009

Texto: Carlos Alberto Soffredini. Direção: Péricles Martins. Direção Coreográfica: Murilo Possebon.

 

História narra a trajetória de Cia. Circense em decadência, retratando a situação do artista no cenário brasileiro.

Crise do Teatro

2008

Texto: Jacques RouBaud. Direção: Samir Signeu.

 

Grupo de representantes da classe teatral se reúnem para discutir os problemas e questões do teatro, fundados em propostas absurdas e surreais.

7 Minutos

2007

Texto: Antonio Fagundes. Direção: Valéria Lauand.

 

Ator interrompe espetáculo para discutir com a platéia os motivos das inúmeras interrupções e ruídos durante a apresentação de uma peça de teatro.

Plaxticidade

2007

Texto: Antonio Fagundes. Direção: Valéria Lauand.

 

Ator interrompe espetáculo para discutir com a platéia os motivos das inúmeras interrupções e ruídos durante a apresentação de uma peça de teatro.

O Minuto Depois

2006-2011

com a Azenha de Teatro. Texto: Criação coletiva. Direção: Adriana Azenha.

 

Situações limites são vividas minuto a minuto retrocedidos durante um dia, conectando vidas paralelas como se conhecêssemos sempre o futuro, e o passado tivesse que ser inventado.

Destino São Paulo

2006

com a Cia Rebenta!!de Teatro. Texto: Criação coletiva. Direção: Adriana Azenha.

 

Apresentação de improvisação cômica, onde diversas personagens se encontram em um ônibus com destino à São Paulo.

Cursos e Oficinas
SENAC SP

Ministra a Oficina de Teatro e o curso de Produção de Eventos Artísticos e Culturais.

BrainBridge Consultoria

Consultor em treinamentos de RH com a utilização das artes cênicas. Desde 2010.

Oficina de Teatro Azenha de Teatro

Ministrou Oficina de Teatro para crianças de adolescentes pela Azenha de Teatro no Teatro UMC. 2017 e 2018.

Oficina de Teatro na Morada da Liga

Ministrou Oficina de Teatro na Morada da Liga do Funk, projeto contemplado pelo VAI, para formação e aperfeiçoamento em cena de MCs. Fevereiro e Março de 2018.

Oficina de Teatro para Professores

Ministrou Oficina de Teatro para professores de arte da Prefeitura de Itapevi/SP. Outubro de 2016.

Oficina de Teatro - Cursinho da Poli

Ministrou o curso livre de teatro para alunos do Cursinho da Poli. 2011 a 2013.

Oficina A prática do Teatro Autoral

Assistente da Oficina de Teatro "A prática do Teatro Autoral", com a Azenha de Teatro, na Oficina Cultural Oswald de Andrade, São Paulo/SP. 2011.

Oficina de Montagem e Pesquisa Teatral

Ministrou Oficina de Montagem e Pesquisa Teatral, com a Azenha de Teatro, na Oficina Cultural Luiz Gonzaga, São Paulo/SP. 2010.

2010 - present

2010 - present

Festivais

Festival de Teatro Cidade de São Paulo 2014

Apresentação do espetáculo O Longo Caminho Que Vai de Zero a Ene. Prêmio de Melhor Ator (David Carolla), indicação para melhor direção e melhor iluminação.

FRINGE 2014

Festival Nacional de Teatro de Curitiba. Apresentação do espetáculo O Longo Caminho Que Vai de Zero a Ene.

Festival de Teatro Cidade de São Paulo 2011

Apresentação do espetáculo O Minuto Depois. Prêmio de Melhor Ator (David Carolla) e indicação para Melhor Espetáculo.

FRINGE 2010

Festival Nacional de Teatro de Curitiba. Apresentação do espetáculo GardenNow - Solo para um ator e cinco flores.

FECT 2009 - Festival de Curtas de Teatro de Osasco

Apresentação de O Minuto Depois. Prêmios de Melhor Espetáculo, Melhor Texto Original, Melhor Atriz, Indicação para Melhor Ator (David Carolla) e Melhor Diretor (David Carolla).

FECT 2008 - Festival de Curtas de Teatro de Osasco

Apresentação de fragmentos de Mulher Judia, de Bertold Brecht. Prêmio de Melhor Figurino.

  • David Carolla
  • David Carolla
  • David Carolla
  • David Carolla
  • David Carolla